O consumo de pimenta pode estar relacionado à longevidade. Pesquisa recente, publicada pela revista britânica de medicina British Medical Jornal, mostra que quem consome mais pimenta vive mais, é menos acometido por câncer e por problemas cardiorrespiratórios.

Segundo os pesquisadores, a pimenta tem poder antioxidante e ação anti-inflamatória.

Outra propriedade já conhecida da pimenta se refere ao seu poder termogênico. Ela aumenta a temperatura corporal, acelera o metabolismo e faz com que o corpo queime mais calorias, o que ajuda na perda de peso.

O consumo em excesso da pimenta, porém, pode levar ou agravar doenças no sistema digestivo.

A pedido do blog, o conceituado nutricionista Clayton Camargos, da Metafísicos, falou sobre os benefícios da pimenta.

Segundo Clayton, as pimentas, principalmente a dedo de moça, ajudam na renovação imunológica das células.

“O sangue passa a ter uma viscosidade melhor e elas agem na parede das artérias, melhorando a circulação e a qualidade dos vasos sanguíneos. É um dos grandes motivos da longevidade do povo indiano, coreano e do chinês. Eles consomem pouco, mas diariamente. Na Índia, por exemplo, a mais consumida é a pimenta cúrcuma”, disse.

Já sobre a mostarda, Clayton afirma que “não adianta comprar aquela amarelinha clara que vemos nas prateleiras dos supermercados”.

“A que apresenta os benefícios é a francesa dijon (mostarda escura). Se possível, consumir dois gramas da semente por dia é melhor do que a em pasta já refinada. Ela ajuda as defesas da membrana celular, melhoram a carapaça da célula, fortalecendo contra ataques virais.”

 

Matéria: Blog Estadão

Leave a Reply